Como entender arquétipos, símbolos e interpretar seus sonhos

sonhos

Eu vou começar contando uma história que pode até parecer estranha ou engraçada, mas eu juro que é a mais pura verdade!

Eu moro no cerrado brasileiro, e o animal símbolo da região é o lobo guará. E no meu sítio tem um lobo que circula pela região, que eu até já vi passando pela frente da minha casa algumas vezes, e até roubou alguns itens da varanda, como um tênis e um pote de ração de gato (que encontrei meses depois largado na mata)!

Mas a parte engraçada vem agora: no ano passado, nós estávamos envolvidos com a venda de um imóvel, logo no inicio da pandemia, quando tudo entrou em ritmo lento, atrasando inclusive a burocracia dos cartórios. E a venda que estava certa, foi se arrastando por meses por causa do atraso na liberação dos documentos. Uma bela manhã de setembro, quando acordamos e abrimos a porta da casa, nos deparamos com um monte enorme de cocô do lobo guará! rs E quando vi aquele negócio, soube imediatamente: esta semana a venda se desenrola e o dinheiro vai ser liberado (e realmente aconteceu)!

E talvez você esteja se perguntando: como isso é possível? O que o cocô tem haver com o dinheiro? E como posso entender os símbolos para interpretar nossa vida em geral, e nossos sonhos?

Pra compreender como tudo isso se relaciona, precisamos entender que nossa vida é uma expressão material de símbolos, imagens, energias e forças subjetivas (internas) que carregamos em nossa alma. Ou seja, tudo em nossa vida é simbólico e arquetípico, representando algo além daquilo que a mente racional consegue compreender.

Hoje quero te ajudar a aprender mais sobre sonhos e visões, mas além disso, que você aprenda que toda nossa vida é permeada de imagens simbólicas, visões e arquétipos atuando em nós.

Vamos começar com as primeiras páginas da Genesis: Deus era tudo, o absoluto imanifestado. E logo criou o céu e a terra, a luz e a escuridão… e isso possibilitou que o mundo manifesto (este em que vivemos) pudesse existir. Mas não podemos entender isso de forma literal: estas palavras são descrições que representam energias e qualidades tomando forma no mundo e sendo percebidos pela mente humana.

Quando a Bíblia fala em escuridão e luz, por exemplo, precisamos abrir nosso entendimento. O que o sol representa? O dia, calor, atividade, trabalho, ação fora de casa, ir para o mundo… arquetipicamente, a energia yang. E a lua? O recolhimento, família, noite, sono, sonhos ou ilusões… energia yin.

Observe como estudar apenas duas forças da natureza nos trazem uma quantidade enorme de informações! E essa é o conhecimento dos arquétipos: eles são forças, energias, consciências, emanações que vem do absoluto único, assumindo formas pra que nossa mente concreta possa compreender, interagir e evoluir.

Mas entenda que arquétipos não se resumem a “luz ou escuridão” apenas: tudo são arquétipos!

Por exemplo, o homem traz a energia do sol, a luz, o yang; a mulher a lua, a escuridão, o yin… e muito além disso, temos energias se expressando através dos números, das letras, dos nomes, em tudo! Seu mapa astral de nascimento mostra o que você trouxe arquetipicamente quando chegou no mundo. Se desejamos conhecer estas energias no momento presente, devemos trabalhar com Oráculos, como o Tarot. E se queremos entender nossos sonhos, precisamos entender que todo o universo é constituído destas mesmas inteligências simbólicas!

Em nosso corpo e nossa consciência, carregamos as energias dos 7 planetas principais (em nossos órgãos), assim como dos 12 signos do zodíaco (em regiões do corpo) – áries na cabeça, touro no pescoço, o sol no coração, e assim por diante.

Se sofremos um acidente e machucamos nossa perna, precisamos entender todo o contexto: como foi o acidente? E que perna machucamos? Quanto mais elementos tivermos, mais informações teremos pra entender qual destas energias estavam em desarmonia porque estamos constantemente conectados e banhados com estas energias cósmicas.

E o que são nossos sonhos? A representação de como estas forças estão agindo a nível da nossa alma, de forma um pouco mais subconsciente. E pra interpreta-los, basta entender que toda nossa vida é permeada por estes símbolos e forças – os ARQUÉTIPOS. Eles não são apenas “imagens” que representam algo, eles são CONSCIÊNCIAS UNIVERSAIS – como eu, você, ou qualquer outra.

Se tiramos uma foto nossa, ela não é quem somos: é apenas uma representação nossa. E imagens (todas) são apenas representação do arquétipo que está por traz dela – e nosso inconsciente, que guarda em si o conhecimento da linguagem universal, interpreta estas imagens intuitivamente. É a mente racional e concreta que acredita que tudo é linear e fragmentado – mas na mente universal, tudo é vertical e conectado.

Cores também carregam seus simbolismos!

Vamos entender o azul celeste: onde nós o vemos com mais frequência? No céu. Que energia ele carrega? O que sentimos quando olhamos o céu? Calma e tranquilidade. Ele também é uma referência a Deus (que costumamos dizer que “está no céu”). Onde encontramos esta cor em nosso campo energético? No chacra da laringe, que é a expressão do Verbo Divino, da Vontade Divina…

Percebeu como uma única cor pode ter enormes significados e desdobramentos?

Eu pessoalmente, aprendi muito estudando o Tarot!

Observe a carta abaixo, O EREMITA ou ARCANO 9. Quando olhamos pra esta lâmina, o que vemos? Um velho, no alto das montanhas, próximo do céu, carregando sua própria lâmpada. E o que ela representa?

eremita

O velho é o sábio, aquele que tem experiência de vida. Ele está na montanha, onde vamos pra meditar, nos isolar, ficar em silêncio. Ele é guiado por sua lamparina, sua luz interior… percebeu como apenas uma imagem traz muita informação? Por isso um quadro vale mais do que mil palavras!

Por entender tudo isso, os antigos egípcios e maias, expressavam sua grafia através de imagens e símbolos, porque reconheciam nelas maior capacidade de transmitir conhecimentos mais profundamente do que as letras que usamos no alfabeto ocidental.

Vou repetir: entender os sonhos é entender o universo dos arquétipos, e entender que animais, formas, cores, sons, letras, nomes, cenários… são representações de algo mais profundo!

Na semana passada, um amigo me pediu pra ajuda-lo com um sonho: ele se via sozinho, subindo uma montanha com pedras, descalço… e como entender isso? Usando tudo o que falamos anteriormente (e neste caso o arcano do Tarot que mencionei) fica simples entender o contexto de vida dele: subir uma montanha é um desafio que exige força e coragem. Descalço machucamos os pés. Sozinho indica um momento de recolhimento e solidão. Em resumo, ele está em um momento de elevação espiritual.

Outro exemplo: sonhar com uma serpente. Como entender isso?

Precisamos de todos os elementos: ela era ameaçadora ou dócil? Apenas uma ou várias? Longe ou nos encarava? Estava despreocupada ou nos cercava? Onde eu estava? Com quem? E principalmente: como nos sentimos quando fomos visitados pela serpente em nossos sonhos? Perceba que precisamos de muitos elementos, e qualquer “livrinho de interpretação de sonhos” será muito vago e imperfeito pra entendermos a dimensão do que vimos, principalmente porque o elemento mais importante é: COMO EU ME SINTO DIANTE DAS IMAGENS QUE VEJO?

É simples, mas como tudo na vida, exige estudo: sonhos, visões, experiências de consciência… jamais devem ser interpretados a nível literal, sempre busque significados a nível simbólico e vertical. Procure os sentimentos que eles trazem a você – e isso não tem formula pronta, é preciso treinar e aprender.

E mais ainda: entenda que toda a sua vida é “um grande sonho” que nossa Alma vive! O que quero dizer com isso é que TUDO SÃO EXPERIÊNCIAS QUE PRECISAMOS APRENDER A INTERPRETAR SIMBOLICAMENTE – e esse é por si só um caminho e autoconhecimento, cura e expansão da nossa compreensão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo