fbpx
Entendendo a cura dos chacras

Entendendo a cura dos chacras

Hoje damos sequência ao estudo dos chacras – não estudou a primeira parte? Acessa aqui!

Pontos importantes pra começar: geralmente, em função da forma como organizamos as coisas em nossa mente, temos a tendência de separar ou fragmentar as coisas. Por exemplo: eu e minha vida (como se fossem duas coisas separadas!); eu e você; eu e meu fígado; eu e meu corpo… E quando olhamos nossa estrutura energética, continuamos a repetir esta separação: eu e meus chacras; eu e minha aura… ou seja, vemos tudo de forma separada.

Por isso, quando perguntamos “como faço pra harmonizar meus chacras”, passamos a olha-los como algo separado de nós. Portanto, entenda com clareza: seu corpo, seu sistema energético, seus chacras, sua mente… embora tratemos isso de forma fragmentada, TUDO ISSO É VOCÊ!

Podemos até dizer que são diferentes expressões de nossa alma, diferentes estruturas, diferentes corpos ou camadas. Mas em síntese: TUDO É PARTE DO MESMO SER. Por isso, ao falar em harmonizar os chacras, não conseguimos separa-los que quem somos, do que pensamos, sentimos e como nos comportamos – e como isso interage com a energia de nossos chacras – e como tudo isso é responsável por energizar ou desequilibrar nosso sistema!

E o inverso também é verdade: ambientes nocivos, energias negativas são capazes de desarmonizar meus pensamentos, emoções e comportamentos. Novamente: TUDO É UMA COISA SÓ!

Nós até conseguimos trabalhar em diferentes camadas de nosso ser através de diferentes métodos, mas entenda que cada método está limitado a diferentes camadas!

Entender que somos unicidade, mas com diferentes camadas, nos leva a compreender que tudo é uma Jornada de Cura de nossa Alma, e essa Jornada é um trabalho contínuo, constante, em diferentes frequências e níveis. Por isso, não existe um único caminho, mas diferentes maneiras de termos diferentes resultados!

Uma das principais funções de nossos chacras é ser “bateria cósmica”, ou seja: parte da minha energia vem diretamente da minha Essência, da Presença Divina que todos temos. E parte vem do ambiente em que me encontro. Isso significa que nossos chacras são o intermediário, a ponte, gerenciando nossa energia interna assim como também absorvendo continuamente a energia do prana universal – seja lá onde for que eu esteja!

Por exemplo: se tenho bons pensamentos e sentimentos, orando e vigiando, estou fortalecendo minha estrutura interna, mantendo minha energia harmonizada.

Por outro lado, se vivo em ambientes energeticamente densos, compartilhando informação, tempo ou relacionamentos com pessoas que tem outra vibração energética, esses ambientes também vão me influenciar, já que meus chacras absorvem a energia do ambiente carregado com essa informação. Por isso, por mais que eu seja interiormente ordenado, mas compartilhe ambientes desarmônicos, a tendência é trazer esta desarmonia para dentro da minha energia através do sistema de chacras.

Por isso precisamos entender que para curar ou harmonizar os chacras, existe uma combinação entre o que penso, sinto e como me comporto; e pessoas, lugares e situações onde interajo. Assim como contrario também é verdadeiro: uma pessoa religiosa, que medita ou assiste a um templo semanalmente; mas critica, fofoca, reclama… apesar de se alimentar da energia do lugar que frequenta, está se envenenando por dentro! Não tem incenso nem aparência de santidade que mude sua frequência interna…

Existem ainda alguns termos comuns no universo dos chacras que precisam ser estudadas.

Já falei anteriormente que existem “cores padrão” dos chacras. E num primeiro momento, são as cores mais naturais, que vem “de fábrica” em nosso projeto. Mas elas se alteram de acordo com a consciência que habita este sistema.

Por exemplo, você acredita mesmo que a cor azul celeste do chacra laríngeo permanece desta cor diante de críticas, gritos, autoritarismo? Ou ainda se eu permito que pessoas invadam meu espaço contra minha vontade? É claro que não, ela muda de acordo com nossos comportamentos!

Quando gritamos com raiva, usamos palavrões, se somos pessimistas… como o azul celeste vai se manter? Ele vai mudar de acordo com as frequências que você expressa, consequência de sua falta de autoconhecimento! E quando o chacra está contaminado, ao longo dos anos e da repetição, a energia física do órgão relacionado apresenta a somatização da desordem mental.

Uma das referências que gosto de citar são da Fundação Rene Mey, que concluiu que 96% de nossas doenças se originam de desordem emocional! O que é bem interessante, já que isso coloca a saúde totalmente em nossas mãos, nós temos o poder e a responsabilidade pelos nossos resultados! Mesmo a influência genética ou alimentar são mínimas quando comparadas ao restante…

Outro exemplo: sabe o verde natureza do seu chacra cardíaco? Quando temos mágoas, ressentimento, quando guardamos emoções e pensamentos tóxicos sobre pessoas ou circunstâncias, quando não aceitamos as coisas como são… inevitavelmente, ele muda de frequência e de cor acompanhando a natureza de nossos pensamentos. E com isso, novamente percebemos que o grande delimitador da saúde de nosso sistema está naquilo que pensamos e sentimos!

Por isso, o termo “chacra fechado” (popularmente utilizado) é incorreto pra expressar nossas desordens. O correto é “chacra em desarmonia”, em hipoatividade (quando diminui sua frequência original). Termos como “abrir o chacra” são enganosos: todos os nossos chacras já estão em atividade neste exato momento. Ele pode estar em hipoatividade (quando encolhe) ou hiperatividade (quando alimentamos ele além da nossa capacidade natural), mas em nenhum caso estão “fechados”.

Podemos então definir que harmonia energética, desbloqueio dos chacras, são consequência de pensamentos e sentimentos afins!

Quando mentimos, baixamos o giro do sistema. Em oposição, quando trabalhamos na Verdade, nos alinhando realizar a Vontade Divina, é claro que a frequência se eleva!

Mas tem outro detalhe interessante: eu dei exemplo das cores de fábrica e como frequências negativas nos influenciam. Mas tem o outro lado disso: um guru, santo, avatar… enfim, alguém que está em estado de (ou caminhando para) iluminação, você acredita que as cores de seus chacras são “padrão”?

É claro que não! Qualquer um que comece a desenvolver sua espiritualidade, suas conexões superiores, vai ter variantes de cor e frequências superiores em seu sistema. Quando nos aprimoramos, deixando pra traz a condição comum de adormecido, transcendemos também para novos padrões de cores e de velocidade dos chacras.

Evolução espiritual é um sinônimo para Expansão da Consciência.

Expandir significa trabalhar suas fragilidades, fortalecer suas estruturas mais elevadas, agir com Verdade Amor e Sabedoria. Tudo isso vai impulsionar sua consciência a expandir, e como consequência disso, todo o seu sistema energético cresce e se transforma como consequência de quem você é.

Chegando aqui, tenho certeza que você já percebeu que não adianta falar em “cura dos chacras” em uma frente única!

Por exemplo, eliminar a energia da insegurança não se faz apenas com afirmações positivas, ou visualizações, ou meditação… tudo isso vai ter efeitos muito menores do que se trabalharmos em todas as frentes! Ou seja, trabalhar em várias camadas fortalece a todas elas. Como fazer então?

Comece aprendendo sobre qual a estrutura mental e emocional está relacionada a cada um dos chacras.

Se liberte de traumas e pensamentos opostos a cada uma destas energias.

Utilize florais se necessário (o sistema de Florais de Minas tem uma linha ótima para os chacras!)

Use pedras ou cristais, medite ou visualize seus chacras… tudo isso ajuda em diversos níveis.

Se seu nível energético é pequeno ou está baixo, faça taichi ou yoga pra expandir o sistema.

Mas não existe cura profunda sem entender que temos muitas camadas e dimensões, e que todas precisam ser observadas – e todas são importantes pra contribuir pro nosso processo de desenvolvimento interior.

Entendendo a cura dos chacras

Outro ponto importante: cada vez que passamos por um trauma, não importa de que intensidade, nível ou em que vida, esta informação fica registrada em nosso sistema de chacras.

Se trabalhamos em traumas da infância, ou vida adulta, ou ainda vida uterina, o que está acontecendo? Limpamos camadas, importantes é claro, mas camadas não são o todo! Muitas coisas melhoram depois disso, mas é importante entender que todos temos muita bagagem negativa de vidas passadas (nossas samskaras) – e aí entra a importância da regressão a vidas passadas, porque vamos acessar material que sequer suspeitávamos que existisse!

Por isso repito sempre: conhecemos apenas parte de quem somos, apenas as etapas superficiais. E qualquer método pode ser útil, mas a solução dos problemas vai funcionar apenas na camada que você consegue acessar!

Portanto, pra aprofundar cada vez mais, é preciso aprender a fazer isso. E a ferramenta mais eficaz pra isso é a meditação.

Não adianta tomar florais, usar cristais, se não vamos cada vez mais profundamente em nós, porque nossas percepções sobre nós mesmos, a vida, o universo e tudo mais, está sempre limitado pelo tamanho de nossa consciência. Expandir então é o único caminho pra perceber nossa infinitude interior.

Vou te dar outro exemplo:

Você conhece alguém que não consegue conceber uma vida espiritual profunda e verdadeira? Todo mundo conhece… Mas porque isso acontece? Estas pessoas tem a consciência contraída e, como consequência, chacras em baixa frequência… Por isso, falar sobre verdades espirituais a ela, é como falar de física quântica a uma criança de 3 anos. Não é que ela não queira entender: ELA NÃO CONSEGUE, porque sua consciência não tem acesso níveis de conhecimento mais elevados!

E como essa pessoa muda sua realidade? Precisa se trabalhar muito, pra entender o universo multidimensional que vivemos. E isso não se consegue com livros ou “acreditando” em coisas novas: ela precisa exercitar, praticar e praticar pra conseguir crescer.

Esse é o papel de um bom professor, esse é o papel de um terapeuta!

E por fim, como tudo que tem energia tem informação, nossos chacras também são o depositário de nossas informações cármicas. Em outras palavras, tudo que fizemos no passado retorna armazenado em nosso sistema quando retornamos ao mundo.

E isso nos dá espaço para outra explicação muito interessante. Imagine que numa vida passada alguém teve muito poder de mando, foi autoritário, um tipo mandatário… ou seja, exerceu muito o poder do terceiro chacra. Mas se essa pessoa hiper-utilizou esta energia, abusou de seu poder, o chacra vai se forçar para expandir além da sua capacidade normal de operação. Mas como sabemos muito bem, qualquer órgão que é super utilizado em um momento, entra em hipo-funcionamento na sequência.

Ou seja, autoritário em uma vida, retorna com o chacra contraído na sequência – e em nosso exemplo, perdendo a capacidade de se colocar, se responsabilizar, de dar limites, ou exercer autoridade mesmo que em sua própria vida. E neste ponto nos perguntamos: será que o carma é um castigo de vida passada, ou apenas a consequência do mau uso de nossa própria energia? Tenho certeza que você mesmo já tem a resposta…

E pra finalizar: independente da forma como você compreenda a cura dos chacras, lembre-se que precisamos ir cada vez mais fundo, em camadas cada vez mais distantes. Não vamos conseguir liberdade emocional, energética ou metafisica se isso não for bem compreendido por um motivo simples:

Posso tomar florais, usar cristais, fazer terapia e tudo vai ajudar. Mas nenhum destes métodos vai solucionar questões de vírus mentais, parasitas ou cordões energéticos, fragmentos ou chips não orgânicos que muitas pessoas carregam e sequer sabem de sua existência. Pra isso, é necessário o uso de ferramentas adequadas pra reconhecer e se libertar destes aparatos. Mas pra acessar e enxergar essa realidade, o único caminho é trabalhar cada vez mais fundo em nosso campo de energia!

Entendendo a cura dos chacras
Meditação parte 3 – o terceiro olho

Quando eu era criança, criado no interior do parará e com pouco acesso a informação (soa até estranho falar isso Read more

Entendendo a cura dos chacras
O Poder da Autodisciplina

Disciplina é a força por traz do caminho do despertar, porque é ela que nos leva a prática, ao constante Read more

Entendendo a cura dos chacras

Comente!

Rolar para cima