fbpx
Autossabotagem, energia e espiritualidade: o que você não vê!

Autossabotagem, energia e espiritualidade: o que você não vê!

Calma: se você está tentando, se esforçando, buscando fazer seu melhor, mas ainda não conseguiu atingir seus objetivos, aquela mudança ou nível de consciência, seja paciente porque nem sempre é “porque você não quer”!

É muito comum no meio da psicologia ouvirmos o termo “você não faz porque não quer”, ou “você está se sabotando em alguma coisa”. E isso dói quando ouvimos, porque em muitos casos pode até ser que existe autossabotagem, mas em outras vezes estamos nos esforçando, e ainda assim parece que tudo fica amarrado, em que as coisas começam a caminhar e tudo se desmorona sem explicação.

É quando nos perguntamos “o que estou fazendo de errado” ou “o que estou deixando de fazer”, e temos a sensação de que a culpa é nossa, e que estamos cometendo um erro.

Existe sim muita coisa dentro de nós, nossa própria energia, e que deseja manter-se na zona de conforto: nosso ego e suas infindáveis histórias mentais (faço depois, não consigo, agora não dá, é apenas para o outro…). Isso é nosso, nossa própria autossabotagem, temos que assumir!

Mas vamos entender o seguinte: tudo no universo, tudo em nossa vida é energia (assunto batido, não? =). Tudo vibra, tudo é magnético, as coisas que acredito vão gerar um campo de energia e atrair aquilo que é coerente com minha vibração mais consistente. Entendendo que estamos em que tudo se atrai e se repulsa, temos nossa responsabilidade sobre tudo que ocorre conosco.

Mas se nem sempre é autossabotagem e ainda sou responsável, onde está o ponto que não enxergo?

Todos temos algum ponto cego em nossa vida, algo que para um é mais difícil ser resolvido enquanto para outro não. E isso acontece porque temos pensamentos e emoções que geram padrões, condicionando nossas reações ao mundo. E quando existe dificuldade, e mesmo assim nos sentimos amarrados e não vemos luz no fim do túnel, é porque estamos com AUSÊNCIA DE ENERGIA. Não necessariamente energia física, mas sim ausência de energia espiritual e anímica.

Pra concretizar e realizar nossas aspirações mais elevadas, que estão relacionadas a nossa Alma, precisamos de energia afim a isso, ou seja, energia da Alma para realizar coisas da Alma! Mas quando ela nos falta, as coisas parecem um pouco amarradas…

Mas como saber quando estamos em baixa, e onde esta energia está se perdendo? O que estou fazendo ou deixando de fazer que ocasiona isso? E pra onde ela vai?

Quando temos pensamentos que não estão alinhados com a busca de nossa Alma, pensamentos estes de baixa frequência como aversão, medo, insegurança, raiva, intolerância… e mantemos esta vibração, estamos abrindo portas internas. E ninguém entra em casa alheia a menos que tenha um convite, ou encontre uma facilidade pra isso!

Em nossa estrutura o mesmo se repete: qualquer energia externa somente vai nos atingir se por dentro estivermos permitindo isso. E essa permissão vem através de vícios, pensamentos e emoções, bloqueios inconscientes, e que vão aos poucos se armazenando e gerando campos de energia bastante diferentes daquilo que é a busca de nossa Alma, em frequências bastante inferiores.

E isso tem consequências. Primeiro, perdemos energia de nossa Alma, e ao invés de nos alimentar e fortalecer em nossa Jornada, começamos a dispersar (como quando abrimos o ralo da pia). São nossos padrões inconscientes criados pelos nossos pensamentos negativos, que com o tempo pode sim atingir o nível da energia física, trazendo cansaço, desânimo, e até depressão (quando nada mais faz sentido)…

Qualquer destas portas permite a entrada de frequências similares. E nesta atração, podemos tanto nos conectar com energias alheias, ou mesmo consciências que vagam pelo astral do mundo e quando sentem um cheiro compatível, encontram espaço pra se acoplar. Questão de frequência e sintonia, apenas isso.

E aí chegamos no X da questão: energias externas também influenciam em nossos desejos.

Se a porta aberta é o vício do álcool, por exemplo, mesmo que a pessoa beba apenas eventualmente, iremos atrair consciências da mesma frequência. É nestes momentos que algumas pessoas que bebem apenas socialmente, começa a ter vontade de beber mais, muitas vezes se viciando na substancia.

É claro que este é apenas um exemplo simples, mas o mesmo se repete com todo tipo de pensamentos, ou ainda vícios emocionais.

E criamos assim um ciclo vicioso: uma porta aberta trazendo frequências externas semelhantes alimentando o desejo de manter a porta cada vez mais aberta ampliando ainda mais nosso comportamento negativo. É nestes momentos que nos damos conta de é preciso realizar outras coisas, mas não conseguimos porque embora tenhamos algo de vontade, nossa energia é contrária a ela. É como usar um combustível errado em nosso carro!

Se queremos então elevar, atingir, realizar coisas relacionadas a nossa Alma, precisamos nos alimentar com frequências equivalentes, mais sutis, mas coerentes com nossas intenções mais profundas. E nenhuma energia de baixa frequência vai nos conduzir pra onde queremos.

Precisamos então observar o que estamos trazendo pra nós.

Ninguém traz amor se não for também amoroso. E a mudança sempre começa dentro, precisamos SER para atingir nossos objetivos.

Se queremos trilhar um caminho espiritual e de autoconhecimento, precisamos SER isso, por inteiro.

Se isso nos toca, e queremos realmente ter resultados, precisamos realizar mudanças. Não adianta apenas ler ou ouvir, é preciso colocar em pratica.

Uma das formas é entrar em contato com estas energias superiores, mesmo vivendo o dia a dia, trabalho, família, estudo, mas sempre em comunhão com nosso coração.

Meditar é nossa principal fonte, aquela que vai nos energizar com mais intensidade.

Mudar nossa alimentação também faz parte disso: o nível de alimentos que consumimos também vai se refletir em nossas percepções mais sutis.

Florais também ajudam? Sem dúvida, ele vai nos clarear em questões que estavam ocultas de nossa percepção e nos orientar na correção – o mesmo vale para nossas Essências Vibracionais! =)

Radiestesia também vai ajudar? Sem dúvida, é um método excelente pra encontrar onde estamos errando…

Como você pode perceber, tudo que nos eleve vai nos ajudar. Mas tem algo que é fundamental: se no dia a dia, não nos observamos, não percebemos nossas fraquezas, não nos alimentamos da VERDADE em tudo que fazemos, todos os meios citados se tornam apenas paliativos.

A verdade é que nos liberta, mas não existe meia-verdade sem meia-mentira!

Olhe pra dentro então e encontre suas portas abertas, seus comportamentos negativos, quais seus vícios emocionais e padrões que estão permitindo a sintonia com energias densas e nocivas. À partir do momento em que começamos a corrigir tudo isso, qualquer ferramenta se torna bem-vinda pra nos ajudar a limpar nossa casa, porque já sabemos exatamente o que estava causando a desordem. Limpamos e fechamos as janelas. Elevamos nossa vibração e afastamos energias nocivas. E aí, trabalhando com um combustível de alto nível, rompemos o ciclo vicioso do passado.

Autossabotagem, energia e espiritualidade: o que você não vê!
Guias e mentores espirituais: quem são?

Sabe quando precisamos de algum conselho, uma orientação, ou de alguém que de alguma forma tenha mais conhecimento ou seja Read more

Autossabotagem, energia e espiritualidade: o que você não vê!
Que fatores definem sua vida futura?

Os instantes finais de uma vida, ou seja, quando a morte é iminente, tem sua propria magia pra definirmos nossa Read more

Autossabotagem, energia e espiritualidade: o que você não vê!

Comente!

Rolar para cima