O Poder da Autodisciplina

O Poder da Autodisciplina

Vamos falar hoje sobre um ingrediente fundamental no caminho da expansão da consciência e da espiritualidade: autodisciplina.

Mas antes de entender este poder e como ele pode nos transformar, vamos estudar como nós fomos adestrados pra funcionar aqui em nosso mundo.

Você deve lembrar que quando somos crianças, precisávamos estudar pra passar de ano na escola, e no fim de ano como recompensa, tinha sempre um presente de natal. Se não estudasse e tirasse boas notas, tinha risco de ficar sem presente e ser repreendido em casa.

Quando crescemos um pouco mais, tem o vestibular, e a recompensa pelo seu esforço é o nome da lista de aprovação.

E essa dobradinha esforço x recompensa faz parte de tudo que fazemos. Observe que falta de esforço é sinônimo de reprovação, rejeição, perda, prejuízos… diferente de quando atingimos um objetivo e ganhamos algo (mesmo que um elogio) nos trazendo uma sensação de prazer.

Esse jogo funciona tão bem que nosso ego é movido por ele  – desde fazer coisas que nos trazem maiores níveis de sucesso, dinheiro ou reconhecimento, que nos fazem sentir “mais” populares, “mais reconhecidos”, “mais” visíveis… até nossas dificuldades pra nos libertar de comportamentos negativos, impulsos sabotadores e condicionados…

Mas em termos de espiritualidade as coisas não são assim. Na realidade, quando estamos decididos pelo despertar, primeiro vamos passar por confrontações como perda de pessoas, de amigos, de afinidades com lugares e ambientes… e a frustração, solidão e até rejeição pela mudança – numa jornada de primeiro perder algo, para mais tarde ganhar.

E o que isso tem a ver com a autodisciplina?

Disciplina é o ingrediente numero 1 na jornada de todos os buscadores, é a força que diz que “devemos fazer o que precisamos fazer”, porque se não colocamos as coisas em prática, em ação, por livre arbítrio, escolha e decisão, abrindo mão das recompensas que agradam tanto ao ego, é improvável ou até impossível ter qualquer tipo de resultado.

Como vimos, quando somos comandados pela mente-ego, sempre existe algum nível de recompensa em nossas ações, mesmo quando este comportamento seja indesejado por nós – é nossa autossabotagem.

Mas em termos de espiritualidade, a gente faz, faz, faz, e podemos passar semanas, meses ou anos sem ver resultados! Por isso, se você está começando agora, é preciso lembrar: se não usamos essa energia, essa força, esse ingrediente chamado autodisciplina em nossa jornada de despertar espiritual, o despertar poderá nunca ocorrer! Isso porque estamos falando de coisas abstratas e sutis, e que não tem prêmios imediatos.

A nossa Jornada – minha e da Valéria – são um exemplo de como isso acontece.

Talvez você acompanhe nosso trabalho, assista nossos vídeos e se pergunte: como vocês fizeram pra desenvolver estas habilidades? Bem, nós levamos cerca de 30 anos pra recuperar e desenvolver estas capacidades. Recuperar, porque muitas levaram vidas inteiras pra serem desenvolvidas, e mais anos inteiros trabalhando nesta vida pra desenvolver o nível de consciência que permitisse que estas habilidades retornassem nesta vida.

Mas isso aconteceu depois de anos meditando com pouco ou nenhum resultado.

Anos peregrinando em técnicas de energia e expansão da consciência procurando aquilo que se ressoava conosco.

Anos desconstruindo estruturas mentais, pesquisando e testando.

Mas nessa jornada não tinha recompensa! Estes estudos não melhoravam meu salário, não me traziam mais amigos, não me tornavam alguém de “sucesso”. Na realidade ocorre até o oposto com pessoas se afastando por simples falta de afinidade, ou porque eram amizades baseadas em coisas transitórias que perdem valor pra quem está buscando algo mais sólido e impermanente. E isso nos torna pessoas muito sozinhas e solitárias.

E qual a recompensa que isso nos traz? No mundo do ego, tudo que ele não deseja é ficar sozinho e rejeitado, já que sua busca principal é sobressair-se e ser “mais”…

Sem disciplina, não tem caminho espiritual. E isso significa fazer vários pequenos ajustes no dia a dia como: determinar um horário de meditação, determinar horários pra levantar e dormir, ser seletivo em sua leitura, escolher seu estudo, sua música… ser disciplinado sobre os locais que você frequenta, as pessoas com quem você compartilha, a comida que o alimenta… que pensamentos você permite em sua mente, que sentimentos você carrega em seu coração… e pra escolher tudo isso, é preciso DISCIPLINA.

Bem, se você voltar no artigo que falamos sobre faça o que tem que ser feito, ou assistir nosso vídeo sobre “integridade”, vai perceber que a disciplina nada mais é que juntar tudo isso no mesmo contexto.

Você está comprometido com seu despertar e iluminação? O que você tem feito diariamente pra te colocar em contato com isso?

Você está comprometido consigo mesmo? Tem feito o que precisa fazer? Está separando aquilo que é útil do inútil em sua vida?

Disciplina também tem um outro significado importante, que diz assim: em termos de espiritualidade, amanhã é nunca!

Por isso, é preciso começar hoje, desconstruir-se agora, abandonar vícios e tendências negativas enquanto temos tempo. E falando em tempo, tudo que temos se resume ao MOMENTO PRESENTE!

Disciplina é então a força por traz do caminho do despertar, porque é ela que nos leva a prática, ao constante polimento interno, a fazer o que é importante, seja nas maiores coisas (como em nossa hora de meditação) ou nas pequenas (como vigiar constantemente nossos pensamentos).

Quando mais autodisciplina, mas próximos nos tornamos do despertar e da iluminação. Ao passo que ao manter a autoindulgência, mais nos afastamos  porque isso é comportamento de adormecido!

O Poder da Autodisciplina
Não leve a vida tão a sério!

Como seria seu dia se - quando acontece algo que você não gosta, não quer ou não esperava - você Read more

O Poder da Autodisciplina
Porque devemos enfrentar nossa sombra?

Em meu trabalho me deparo constantemente com pessoas que falam em despertar, em conectar-se com o Divino, em experimentar a Read more

O Poder da Autodisciplina
Últimos posts por Rafael Zen (exibir todos)
Gostou? Compartilhe:

Comente!

Rolar para cima